Follow by Email

segunda-feira, 26 de julho de 2010

DESAFIO

há uma perplexidade à frente
o verde é infinito
é de banhar
a sede das metades
é de beber
de dar vontade.
             As vistas são várias
             e a ilha
             é o estar aqui
             feito pêndulo limitado
             a balançar  o tempo.
O desafio está na face de todas as coisas
             e a profundidade atrai
             o distante e o prazer.
             O pretexto para a âncora pode ser um sonho
             mas navegar não é perigoso.
Somos todos marinheiros.
E a palavra
mesmo a não dita
é uma primeira viagem

(publicado em Divisas, em 1991)

Um comentário:

  1. Naveguemos, pois, para que as metades saciem todas as sedes...

    Salve, salve, poeta!

    bjbj
    marli

    ResponderExcluir