Follow by Email

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

SATURAÇÃO

Nada mais há de original no mundo.
Registram-se nascimentos e mortes
a cada segundo.
Noticia-se simultaneamente
perdidos e achados.

A poesia se debate
por um possível novo tema
e satura-se cada vez mais de solidões.

Quando chover,
talvez a paisagem se renove.
(Partido, 1997)

Nenhum comentário:

Postar um comentário